sábado, 8 de novembro de 2008

É TUDO QUESTÃO DE CULTURA!

Há exatamente 215 anos, abriu-se ao público o museu do Louvre.
Instalado no Palácio do Louvre, é um dos maiores e mais famosos museus do mundo. Localiza-se no centro de Paris, entre o rio Sena e a Rue de Rivoli. O seu pátio central, ocupado agora pela pirâmide de vidro, encontra-se na linha central dos Champs-Élysées, e dá forma assim ao núcleo onde começa o Axe historique (Eixo histórico).
É onde se encontra a Mona Lisa ( a original, porque a cópia eu tenho em casa, abala na minha sala rsrsrrsrs), a vitória de Samotrácia, a Vênus de Milo, enormes coleções de artefatos do Egito antigo, da civilização greco-romana, artes decorativas e aplicadas, e numerosas obras-primas dos grandes artistas da Europa como Ticiano Rembrandt, Michelangelo, Goya e Rubens, numa das maiores mostras do mundo da arte e cultura humanas.
O Louvre é gerido pelo estado francês através da Réunion des Musées Nationaux. Foi o museu mais visitado do mundo em 2007, com 8,3 milhões de visitantes.
O primeiro real "Castelo do Louvre" neste local foi fundado por Fellipe II em 1190, como uma fortaleza para defender Paris a oeste contra os ataques dos Vikings. No século seguinte, CarlosV transformou-o num palácio. Mais tarde, reis como Luis XIII e Luis XIV também dariam contribuições notáveis para a feição do atual Palácio do Louvre.As transformações nunca cessaram na sua história, e a antiga fortaleza militar medieval acabaria por se tornar um colossal complexo de prédios, hoje devotados inteiramente à cultura. Dentre as mais recentes e significativas mudanças, desde o lançamento do projeto "Grand Louvre" pelo presidente François Mitterrand, estão a transferência para outros locais de órgãos do governo que ainda funcionavam na ala norte, abrindo grandes espaços novos para exposição, e a construção da controversa pirâmide de vidro desenhada pelo aarquiteto chinês I.M.Pei no centro do pátio do palácio, por onde se faz agora o acesso principal. O museu reorganizado reabriu em 1989.
No dia 7 de novembro de 1968, portanto há 40 anos, inaugurou o novo prédio do Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand (MASP), localiza-se na aavenida Paulista. Um dos mais importantes espaços culturais do país, é popularmente conhecido pelo edifício de arquitetura arrojada que abriga as suas instalações, famoso ícone da capital paulista.Instituição particular sem fins lucrativos, o museu notabiliza-se pelo extraordinário acervo reunido desde sua fundação em 1947. Reconhecida internacionalmente por sua qualidade e diversidade, a coleção do MASP é considerada a mais importante da América Latina, com obras que abrangem da Antiguidade Clássica até a Arte contemporânea
O crescente volume e importância da coleção de obras de arte exigiam a construção de uma sede própria. Com esse intento, a prefeitura doou o terreno antes ocupado pelo Bewlvedere Yrianon, tradicional ponto de encontro da elite paulistana, que havia sido demolido em 1951 para abrigar a primeira Bienal Internacional de Arte de São Paulo. O terreno da Avenida Paulista havia sido doado à municipalidade com a condição de que a vista para o centro da cidade fosse preservada, através do vale da Avenida Nove de Julho.
Lina Bo Bardi concebeu arquitetonicamente o prédio atual do MASP. Para preservar a vista exigida para o centro da cidade, a arquiteta idealizou um edifício sustentado por quatro pilares. A construção é considerada única no mundo pela sua peculiariedade: o corpo principal pousado sobre quatro pilares laterais com um vão livre de 74 metros. A inovação foi viabilizada pelo trabalho do engenheiro José Carlos de Figueiredo Ferraz. Construído de !956 e !968, a nova sede do MASP foi inaugurada em 7 de novembro de 1968 com a presença de Rainha Elizabeth II do Reino Unido.
O Museu do Louvre, de Paris, recebeu uma obra do MASP para completar a exposição MANTEGNA, dedicada ao grande mestre renascentista italiano, que ficará aberta ao público de 26 de setembro a 5 de janeiro de 2009. A obra São Jerônimo Penitente no Deserto (1448/1451) mostra o santo recluso no deserto para meditar, o que a diferencia de outras obras quatrocentistas da mesma representação, nas quais São Jerônimo é visto em momento de penitência e sofrimento. Na obra do MASP, em vez de objetos de auto-flagelação, Mantegna pincelou um rosário e um livro, incitando a reflexão entre a fé e a razão.
A série completa de 73 esculturas em bronze do artista francês Edgar Degas (Paris, 1834 - 1917), pertencente ao acervo do MASP, estendeu sua rota de viagem. Depois de exposta em duas instituições nos Estados Unidos - Boca Raton Museum of Art, em Boca Raton (Flórida), de 23 de janeiro a 27 de abril, e no Frederick Meijer Gardens & Sculptures Park, em Grand Rapids (Michigan) 28 de maio a 31 de agosto – seguiu para o novo espaço de arte da Fundación Mapfre, de Madri, onde ficará de 10 de setembro a 15 de março de 2009. Nesta última, complementada com a pintura Quatro Bailarinas em Cena, a exposição ganha o nome de Más Allá de La Pintura.
Este tesouro do museu paulista se mostra pontual referência brasileira nas artes do mundo todo, tanto para valorizar o Brasil no exterior quanto para atrair grandes mostras internacionais.
Lamentavelmente, na edição da revista veja de 2 de julho de 2008, na página 136,li uma matéria intitulada de: UM MUSEU AOS PEDAÇOS, onde uma devassa nas contas da instituição flagrou uma situação de falência financeira.
Na nossa querida cidade de Lorena, a Dona Eva faz um belo trabalho na Secretaria de cultura, porém, falta um esforço de toda nossa sociedade no sentido de ampliar nosso leque cultural, valorizando nossos artistas locais (que são muitos), como músicos, pintores, escultores, para valorizar nossa cultura e identidade, fato que se negligenciado, corremos o risco de sermos um povo sem memória e sem cultura.
o Casarão do Conde de Moreira Lima, de estilo neo-colonial, é talvez a mais rica e sólida construção, não só de Lorena como de todo o Vale Paraíba é a sede local da secretaria da cultura, onde acontece exposições, recitais,lançamento de livros e outros eventos culturais.
Entretanto, precisamos entender que a cultura é dinâmica e em processo de transformação. Acredito que precisamos rever a grade curricular dos ensinos fundamental e médio, levando a história da arte e da cultura para que nossos jovens cresçam com um olhar mais crítico e valorizando esse tesouro, ignorado pela maioria das pessoas da nossa geração.
É TUDO QUESTÃO DE CULTURA.
Vamos discutir esse pilar de uma sociedade mais livre, mais consciente e mais inteligente para o bem de todos e valorização de nós mesmos.
Beijão e até mais....

3 comentários:

mlestevamg disse...

Muito bom!!! E como conheço vc e a infinidade de assuntos que vc conhece e pesquisa, esse blog será o mais exrenso da net...huahuahua Abração!!!

Andre disse...

Impressionante !!!
É uma viagem no tempo, e com certeza fascinante e de conotação sem igual. Gosto muito de agregar valor em conhecimento de história, ainda mais nas épocas clássicas da mesma. uma reflexão de paradoxo a essa matéria, me atrevo em indicar os filmes: 300, O Gladiador, Cruzada, Tróia e demais, por serem ricos de conteúdos e de estratégias que na época foram utilizadas, mas que até hoje está nos dialetos de nossos povos e o porque.
Grato.
Phillippini

Luís Otávio Tatá disse...

Nobre amigo, Mafú, me impressiona o seu conhecimento e principalmente a sua leitura de nossa sociedade... da nossa realidade, vc representa o nosso anseio de realização em prol dos nossos... do nosso povo, da nossa gente!!!! Com relação a esse texto sobre cultura acho importante destacar o avanço da Secretaria de Cultura, porém necessitamos de uma maior participação da sociedade... Acredito na possibilidade de mudança social através de oportunidades aos nossos municipes e a cultura é um dos meios de difusão disso...
Holofotes para os nossos artistas de rua!!! Espaço para os nossos poetas!!!! Palco para o teatro... enfim... que nossa sociedade seja mais sensivel aos nossos bravos artistas, heróis da resistência!!!
Parabéns Mafu...