segunda-feira, 12 de julho de 2010

(83) A FÉ NÃO COSTUMA FALHAR!

NESTA MATÉRIA EU RELATO BREVEMENTE A HISTÓRIA DO BAIRRO DA CRUZ E SOBRE A FÉ NA PADROEIRA DO BAIRRO: NOSSA SENHORA DE FÁTIMA.  A COMUNIDADE SONHA EM VER A NOVA IGREJA TRANSFORMADA EM SANTUÁRIO DE FÁTIMA TAMBÉM, E, COMO A FÉ NÃO OSTUMA FALHAR, ISSO É MUITO POSSÍVEL DE SE REALIZAR. ATÉ!

Do final do século XIX, até as primeiras décadas do século XX, a sede da fazenda do Ipê no Bairro da Cruz, cujas terras abrangiam desde o atual Bairro Jardim Novo Horizonte até a Vila Brito, servia como base de encontro e reabastecimento dos tropeiros, que vinham das áreas rurais como Santa Lucrécia, Pinhal. Serro Alto, Paraitinga e Cunha, através da Estrada Intermunicipal Lorena-Campos de Cunha, mais conhecida como estrada do Pedroso, que cortava a região. Em 1909, com a inauguração do 5º BIL (Batalhão de Infantaria Leve de Lorena) estabeleceram-se, perto da construção, algumas famílias ligadas às atividades do batalhão como a Família Pádua e algumas famílias tinham em suas matriarcas, as principais fontes de renda, pois estas habitavam o morro conhecido como o Morro das Lavadeiras e lavavam as roupas dos militares, aumentando o aglomerado.

Com o passar dos anos, a Família Stockler, dona da Fazenda do Ipê, criadora de búfalos e que cultivava o plantio da cana-de-açúcar, fez pequenos loteamentos da extensa fazenda, iniciando o povoamento do Bairro da Cruz, pois os antigos tropeiros, naturais em sua grande maioria da cidade de Cunha, foram adquirindo os lotes em torno da Estrada do Pedroso, atual Avenida Sete de Setembro, surgindo algumas vendas e ranchos para hospedagem dos tropeiros que vendiam e compravam mercadorias no centro da cidade, sendo hoje a maior concentração de cunhenses e descentes destes fora do município de Cunha.

Esse fato ocorreu com o Senhor José de França Motta (Zeca Motta) e Dona Maria de França Motta por volta do ano de 1949, quando vieram de Cunha com toda sua família, se estabelecendo às margens da antiga Estrada do Pedroso, onde construíram um rancho que servia como pousada para os tropeiros e demais viajantes. No início da década de 1950, um congregado mariano da Matriz com o propósito de pagar uma promessa à Nossa Senhora de Fátima, por ter se salvado em um acidente na fábrica de pólvora, iniciou um movimento religioso, ensinando a rezar o terço e a catequese para as crianças em suas casas, levando mais tarde, esse aglomerado, para o rancho do Sr. Zeca Motta, onde surgiu a idéia de comprar um terreno para a construção de uma igreja no bairro.

Em 1958, foi lançada a pedra fundamental da Igreja de Nossa Senhora de Fátima, com as bênçãos do Padre João Hipólito na gestão do prefeito Braz Pereira de Oliva. Essa construção movimentou a pequena comunidade com quermesses e diversas doações, sinalizando este terreno com uma enorme CRUZ, que segundo alguns moradores mais antigos, foi a razão do nome do Bairro. Este senhor que iniciou todo esse movimento foi o saudoso Srº Luiz Bento Rosa, que legou o seu nome ao Salão Paroquial da Igreja Nossa Senhora de Fátima no dia 13 de maio de 2009. Foi nesse salão, após a missa do dia 26 de junho, sábado passado, que ocorreu a 1ª Noite Portuguesa, regada a excelentes vinhos que acompanharam o melhor da culinária portuguesa, com músicas típicas da terra das aparições de Nossa Senhora do Rosário de Fátima. O cardápio, selecionadíssimo, ia desde um caldo verde saborosíssimo até uma bacalhoada que enche a boca só em lembrar. Foi muito bom encontrar as pessoas da comunidade do Bairro da Cruz que apoiaram maciçamente o evento, de outros bairros e do Centro da cidade, políticos, religiosos, profissionais dos mais diversos, aposentados e donas de casa, todos num clima fraterno. A simpática comissão de festeiros estava impecavelmente organizada e não mediu esforços para que saísse tudo perfeito e harmônico como realmente ocorreu, sob a supervisão do não menos empenhado e simpático Monsenhor José Benedito Barbosa ou simplesmente Padre Ditinho, pároco atual. O objetivo desse evento é tornar a paróquia referência em Festa Portuguesa e transformá-lo em uma tradição, arrecadando fundos para o término da Igreja que toda a comunidade sonha vê-la SANTUÁRIO DE NOSSA SENHORA DE FÁTIMA em breve, sendo também mais um atrativo de peregrinação de fiéis que visitarem as CIDADES DO CIRCUÍTO TURÍSTICO-RELIGIOSO, que será de grande importância para toda a cidade de Lorena também. A FÉ NÃO COSTUMA FALHAR, já dizia o dito popular e as aparições de Nossa Senhora de Fátima para as três crianças Lúcia, Jacinta e Francisco na Cova da Iria em Ourém, Portugal, em 1917, foi um acontecimento de dimensões continentais para uma época que não existia televisão e nem internet; em poucos anos fez um milagre na vida de um homem e, da sua devoção, sonho e fé, uma realidade na vida de centenas de pessoas espalhadas por toda a cidade, pois de uma cruz erguida num terreno nasceu o nome e a devoção de um bairro e, da velha igrejinha, uma construção moderna e também outros sonhos, alimentados pela mesma fé e unindo as pessoas num objetivo comum - a conclusão da obra do bem possível Santuário de Fátima. Assim a comunidade ensina mais uma lição que sua própria história já contou: Que um sonho sonhado junto se torna uma realidade. Parabéns a todos que trabalharam no evento e para quem não foi, a comissão de festeiros promete vários outros eventos imperdíveis em breve, sob as bênçãos de Nossa Senhora de Fátima!

3 comentários:

Cidinha do Olaria disse...

Hum... Assuntos envolvendo a igreja católica é para o afiadíssimo Messias Venturine com seus comentários regados a Chantilly com Pimenta...
Esse comentário vou deixar para ele... rsrsrs
Afinal vereador, você que é do Bairro da Cruz também sabe nos dizer quem calou a voz, ou melhor, dizendo os dedos ágeis no teclado de bafonerissimo Venturine?
Anda sumido, não acha?

Messias Venturine disse...

Ola Mafu, a gente some e os buchichos aparecem.
Sumi do meu blog, espaço virtual que amava usar, mas devido ao trabalho não ando com tempo de navegar pela net, pior escrever nela, o chantilly me dava tesão em escrever... quem sabe ele volta, com uma cara mais politica? rsrrs
Respondendo a nossa desconhecida Cidinha, que eu adoro mesmo sem conhecer, eu amo dar umas alfinetadas nessa instituição falida que é a igreja católica.
Instituição que matou muita gente na fogueira, destruiu obras de arte, livros, culturas, em nome de Deus.
Nasci no bairro da Cruz, vi como o Sr. Luiz Bento Rosa se dedicou aquela igreja, e como foi tratado quando a mesma se tornou paróquia e chegou por lá o então padre Bosco, o pobre senhor de cabelos brancos e voz mansa, foi colocado no banco de reserva, dele foi retirado as chaves da igreja e nunca mais se viu por lá o velhinho que reunia a criançada para o terço das seis horas da tarde.
É isso e tantas outras atitudes da igreja do papa Adolf I, que me faz ter repugnância da igreja católica Cidinha, é esse jeito de fazer uso do ser humano e depois jogar fora quando não mais convém.
Que pena nosso amigo e dono desse blog não relatar o lado obscuro da paróquia da santa portuguesa, das festas fechadas, da falta de prestação de conta da festa da santa do ano passado, alguns roubos, e por ai vai.
Mudou o pároco, ah que bom né ... Vamos esperar e ver o que muda, não é?
Pois o sonho em ver essa igreja transformada em SANTUÁRIO DE NOSSA SENHORA DE FÁTIMA em breve, tem razão ou ambições muito mais profundas, é financeiro, já está de olho nos inúmeros turistas que passam pela região, já a comunidade, há a comunidade continuara se contentando com migalhas... E os que estão por perto ajudando serão esquecidos assim como o Luiz Bento Rosa.
O vereador poderia sugerir ao pároco novo, para colocar aquele relógio digital novamente na porta da igreja e ali contar o tempo em que o padre já esta na comunidade e com isso poderemos fazer uma comparação do tempo de sua estadia e o que foi realmente feito de benefícios, não acha legal a idéia?
Agora o ilustre Luciano, sobre o que você fala sobre mim meu querido, acho que prefiro manter meu foco em gente que faz coisa boa e produtiva.
De qualquer forma, me deixa muito puto e preocupado quando vejo algo assim, tão sem vergonha de ser homofóbico.
Seu blog esta precisando ser moderado, vereador.... Não dá para tolerar ofensas seja ela a quem for...
Mas, valeu pela lembrança.

conexao-politica LORENA disse...

Sou contra qualquer tipo de preconceito!
E acho que as pessoas não deveriam perder tempo pra postar comentarios maldosos, com ataques pessoais!!!
Liga não messias,
avida é assim mesmo,colocalobos em nosso caminho...